Alto Tietê fecha 7,6 mil postos de trabalho em abril, aponta Caged

No acumulado do primeiro quadrimestre, a região encerrou 8,2 mil contratos de trabalho com carteira assinada.

O Alto Tietê fechou 7,6 mil postos de trabalho no mês de abril, segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Todos os dez municípios terminaram este, que foi o primeiro mês completo de quarentena, com o saldo negativo.

No mesmo período de 2019, a região havia criado 954 vagas de emprego.

Esta é a primeira vez que os dados do Caged são divulgados em 2020.

Até 2019, os dados eram divulgados mensalmente, inclusive com a separação por setor.

O governo federal justificou que havia um problema no recebimento dos dados.

Apesar disso, até a tarde desta quinta-feira (28) as informações de demissões por setor produtivo não haviam sido disponibilizadas.

Os números retroativos divulgados mostram que em janeiro deste ano a região criou 752 postos de trabalho, em fevereiro foram 2,2 mil.

Em março, com o início da quarentena, quase 3,6 mil trabalhadores com carteira assinada foram dispensados.

Ainda de acordo com a Secretaria de Trabalho e Emprego, do Ministério da Cultura, o Alto Tietê tinha 284 mil vínculos trabalhistas no início do ano, mas perdeu 8,2 mil até abril.

No acumulado do ano, todos os municípios também ficam com o saldo negativo.

O pior resultado foi registrado em Mogi das Cruzes, que extinguiu 3 mil postos de trabalho com carteira assinada.

O menor saldo é o de Salesópolis, que encerrou 16 contratos com carteira assinada no acumulado de 2020.

Initial plugin text
Categoria:SP - Mogi das Cruzes e Suzano